Inicio Gênero Ação TOP 10: SÉRIES DE SUPER-HERÓIS QUE FORAM UM GRANDE FRACASSO

TOP 10: SÉRIES DE SUPER-HERÓIS QUE FORAM UM GRANDE FRACASSO

Nem sempre o gênero consegue conquistar o público.

439
0
COMPARTILHE

Depois de conquistar o público com Demolidor, Jessica Jones e Luke Cage, todos esperavam Punho de Ferro com ansiedade e grandes expectativas. No entanto, a série acabou se tornando o ponto baixo entre a parceria Marvel e Netflix graças a uma trama lenta e um protagonista irritante. Ainda assim, o herói vai ganhar uma chance de redenção com uma segunda temporada, que estreia na Netflix em 7 de setembro. Será que as coisas vão melhorar?

Mas muitos outros super-heróis que tentaram ganhar as telinhas não tiveram tanta sorte. Seja por um roteiro ruim, péssimos efeitos visuais ou um conceito pobre, muitos projetos do gênero mal conseguiram ganhar uma temporada inteira. Alguns nem mesmo saíram do episódio piloto. Vamos conferir abaixo dez casos de séries de super-herói que foram considerados fracassos:

Aquaman

Antes de ser conhecido como o Arqueiro Verde de Smallville, e muito antes de interpretar Kevin Pearson em This is Us, Justin Hartley tentou a fama com uma série do Aquaman. Com o sucesso de Smallville, os produtores Alfred Gough e Miles Millar decidiram expandir esse universo e deram início à uma série solo do herói. A trama acompanha Arthur Curry, um ambientalista de vinte e poucos anos que administra uma loja de mergulho. Ele investiga o estranho desaparecimento de sua mãe no aniversário de dez anos de seu acidente de avião no Triângulo das Bermudas, e descobre que ele e sua mãe são originalmente da Atlântida – e que ele é realmente um príncipe do reino submarino. Infelizmente, quando a WB e a UPN se fundiram no canal The CW, o projeto acabou ficando esquecido. Hartley, no entanto, impressionou os produtores, que depois o escalaram como Oliver Queen/ Arqueiro Verde em Smallville.

Birds of Prey

Ao que tudo indica, essa super-equipe feminina da DC deve em breve ganhar as telonas, com personagens como Canário Negro, Arlequina, Caçadora e outras na formação. Mas antes disso, as Aves de Rapina já tiveram sua própria série de TV em 2002, que não durou muito tempo. Aqui, a equipe é formada pela ex-Batgirl Barbara Gordon – agora como Oráculo – a filha da Canário Negro e a filha do Batman com a Mulher-Gato. O trio se une para proteger Gotham City de uma nova ameaça depois que o homem-morcego desaparece. Críticos reclamaram da qualidade do roteiro e as tramas repetitivas, com vários vilões surgindo com o mesmo plano: dominar Gotham. Mesmo com Smallville em alta na época, o público não se mostrou muito interessado nessa aventura e a série foi cancelada após treze episódios.

Blade

Depois de dois filmes bem-sucedidos – e Blade Trinity – o herói Blade ficou esquecido nas telonas, principalmente depois que Wesley Snipes foi preso por sonegação de impostos. Blade: The Series, agora com Sticky Fingaz no papel principal, estreou no canal Spike em 2006 e bateu recordes de audiência. No entanto, com o passar das semanas, os números começaram a cair expressivamente, e levando em conta o alto custo de produção, a emissora decidiu cancelar a série após treze episódios.

Justice League

Não, isso não é um fan-film ou uma paródia. Essa é a Liga da Justiça que quase recebemos nos anos 90. O projeto já começa errado ao não incluir Batman, Superman e Mulher-Maravilha, mas quando vemos o nível dessa produção, ficamos aliviados em ver que a Trindade foi poupada dessa vergonha. O projeto tenta usar o formato mockumentary, onde os personagens agindo como se estivessem sendo entrevistados para um documentário, mostrando o dia-a-dia dos heróis. Em vez de ver a equipe lutando contra o crime, ficamos sabendo sobre a incapacidade do Flash de ter um emprego, os problemas do Lanterna Verde com garotas e a experiência de Fogo como uma atriz em dificuldades. A coisa toda foi um fracasso tão grande que nunca passou do episódio piloto.

Tartarugas Ninja: A Próxima Mutação

A série deveria se passar no mesmo universo que o desenho animado, mas na maior parte do tempo fez referências aos filmes. Personagens clássicos como Casey Jones e April não foram usados, os trajes eram ruins, o roteiro era pior ainda e (a cereja no bolo) eles introduziram uma quinta tartaruga fêmea: Vênus De Milo. A nova integrante veio até mesmo com peitos de conchas e uma bandana trançada para parecer um rabo de cavalo! Vênus acabou sendo uma personagem tão detestada pelos fãs que o co-criador Peter Laird se recusa a falar sobre ela até hoje. Talvez um dos pontos mais memoráveis dessa curta série seja o crossover com Power Rangers no Espaço. No entanto, se foi uma coisa boa ou ruim, depende de cada fã.

Inumanos

Por mais que essa série tenha saído no mesmo ano que o terrível Punho de Ferro, Inumanos é sem dúvidas o maior fracasso do universo cinematográfico até agora. Originalmente anunciado como um filme na Fase 3 – com estreia marcada para novembro de 2018 – o longa desapareceu do calendário de estreias sem qualquer explicação. Alguns apontam que o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, foi forçado a aceitar o título pelo presidente da Marvel Entertainment, Ike Perlmutter, em troca da permissão para um filme da Capitã Marvel. Mas com Perlmutter sendo retirado como intermediário entre Feige e a Disney em 2016, Feige teria dispensado o filme dos Inumanos. Sendo um grande fã dos personagens e ainda tendo controle sobre as série de TV da Marvel, Perlmutter tentou transformar o projeto em uma espécie de “Game of Thrones com heróis”, fazendo uma parceria com a IMAX para lançar os dois primeiro episódios nos cinemas. A série foi filmada às pressas, e o resultado fica bem aparente. Do design pouco inspirado, efeitos visuais fracos e trama furada, nada conseguiu salvar a série de passar uma enorme vergonha entre críticos, conseguindo 0% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Homem-Aranha

Com a popularidade do Homem-Aranha crescendo nos anos 70, a ideia de dar ao herói era algo que parecia sucesso garantido para qualquer emissora. Mas quando você não tem a tecnologia necessária para adaptar o herói de forma crível, a coisa fica bem difícil, e se torna pior com um orçamento de TV. Por mais que tenha durado duas temporadas, The Amazing Spider-Man tinha tantos problemas que é surpreendente que o projeto tenha durado tanto. O Aranha não tinha o senso de humor pelo qual é conhecido, não lutou contra nenhum dos vilões da sua extensa galeria e a Tia May era literalmente interpretada por uma atriz diferente em todos os episódios em que aparecia. Até mesmo Stan Lee deixou claro o quanto odiava essa série, chegando a chamá-la de “juvenil”.

Mutant X

A Marvel não se saiu muito bem em adaptações em live-action durante os anos 90. No entanto, quando se trata de animações, séries como Homem-Aranha e X-Men ajudaram a revitalizar a popularidade dos personagens. Essa década em particular foi de grandes problemas financeiros para Marvel, que vendeu os direitos de adaptação de suas maiores franquias para fugir da falência. Os direitos dos X-Men foram parar na Fox, que então fez um filme super bem sucedido dirigido por Bryan Singer em 2000. Então, tentando se aproveitar essa onda, a Marvel criou uma nova série sobre mutantes, mas como eles não possuíam mais os direitos sobre os X-Men, eles basicamente plagiaram a si mesmos ao fazer essa série sobre mutantes que não apresenta nenhum dos X-Men tradicionais. Mutant X chegou a durar quatro temporadas, mas quando a Fox processou a Marvel, a série foi cancelada e a trama deixada com um gancho para o futuro que nunca foi desenvolvido.

Mulher-Maravilha

Gal Gadot e Linda Carter ajudaram a definir a Mulher-Maravilha nas telinhas e na telona, mas muitas outras tentativas de adaptar a heroína vieram (e fracassaram) ao longo dos anos. O caso mais recente aconteceu em 2011, agora com Adrianne Palicki como Mulher-Maravilha. O elenco contava até mesmo com Elizabeth Hurley, Cary Elwes e Pedro Pascal (que curiosamente se juntou ao elenco de Mulher-Maravilha 1984). A NBC tentou trazer a amazona de volta com um piloto que a mostrava como uma heroína e empresária de sucesso. A personagem tinha até mesmo uma terceira identidade, quando queria viver como uma pessoa comum. O sinal vermelho já foi acionado na cabeça dos fãs quando foi revelada a primeira imagem de Palicki como a heroína. O figurino foi execrado pelo público, sendo comparado a paródias pornôs. Ficou óbvio que os produtores ouviram as reclamações, já que o uniforme acabou mudando durante a produção da série. Apesar de ter o poderoso produtor de TV David E. Kelly, o projeto não foi levado adiante devido a seu roteiro risível. No entanto, o episódio piloto acabou vazando na internet.

Monstro do Pântano

Eis outro personagem que deve em breve fazer seu retorno, dessa vez, no serviço de streaming da DC. Mas por mais que o Monstro do Pântano tenha ficado meio esquecido nas telinhas e telonas, nos anos 80, o personagem ganhou destaque com dois filmes B de Wes Craven. Para não perder o interesse do público, a EUA Network pegou o personagem para ser um dos seus primeiros shows originais. O dublê Dick Durock reprisou seu papel como Monstro do Pântano – que seria o maior papel de sua carreira- tudo isso enquanto usava uma roupa de 40kg (!) no calor do sul da Flórida. A produção assumiu um grande compromisso desde o início, filmando seis dias por semana durante 50 semanas. O orçamento relativamente baixo para a TV e as exigências do figurino dificultavam as cenas de ação, e embora Durock estivesse em inúmeros programas de televisão e filmes como um dublê, ele próprio admitiu que não era bem um “ator”. O projeto durou 72 episódios.

Que outras séries merecem ser mencionadas? Escreva nos comentários.

Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando