Inicio Destaque TOP 10: THIAGO REVELA SEUS FILMES MAIS ESPERADOS DE 2018

TOP 10: THIAGO REVELA SEUS FILMES MAIS ESPERADOS DE 2018

Quanto mais variedade, melhor.

193
2
COMPARTILHE

2018 promete ser um ano cheio de surpresas no cinema, tanto em blockbusters quanto em produções mais obscuras. Tentei variar um pouco nos gêneros e dar atenção para alguns títulos ainda pouco comentados que eu acredito que podem surpreender. Alguns dos meus diretores favoritos, como Wes Anderson, Guillermo Del Toro e Lars Von Trier lançarão novas obras no ano que vem, e é claro que isso gera um nível de conexão maior e mais pessoal. Espero que gostem ou pelo menos se sintam curiosos para conferir estes filmes junto comigo.

Estes são os dez filmes que mais espero em 2018:

10 – Aniquilação

Ex-Machina foi uma surpresa para os fãs de ficção-científica e de cinema em geral. O longa, escrito e dirigido pelo estreante Alex Garland, não criou grandes expectativas, mas acabou levando o Oscar de melhor roteiro original em 2015. Com isso, seu segundo filme, já tem uma responsabilidade bem maior. Ainda no gênero sci-fi, a obra pretende algo mais ambicioso. Estou curioso para ver se Garland é um talento real que consolidará seu lugar em Hollywood ou é apenas mais um Richard Kelly da vida, que após o intrigante Donnie Darko, não fez nada que prestasse.

09 – Pantera Negra

A fórmula Marvel quase sempre funciona, mas raramente surpreende. Apesar disso, é difícil não se empolgar com o lançamento do primeiro filme solo de um super-herói negro do MCU. Ainda mais quando os trailers nos mostram um visual exuberante que valoriza a cultura africana em consonância com a tecnologia de alto padrão, criando algo novo a partir da mistura do tribal com o hi-tech.

08 – Cloverfield: God Particle

Cloverfield talvez seja a franquia mais inusitada do cinema americano atual. Mesmo porque, até o lançamento do segundo filme, Rua Cloverfield 10, não era sequer encarado como uma franquia. O longa foi realizado em segredo e seu estilo é totalmente diferente do original, tanto esteticamente quanto narrativamente, insinuando histórias individuais em uma mesma realidade. God Particle, terceiro capítulo deste universo criado por J. J. Abrams, promete algo de maior escala, encarando de vez o gênero sci-fi com o qual os longas anteriores apenas flertavam. Curiosidade é a palavra-chave que me cria expectativa.

07 – Artista do Desastre

The Room é considerado um dos piores filmes já feitos, e talvez por isso tenha uma legião de fãs. O longa se tornou um clássico cult entre os espectadores que continuam por descobrir e discutir sobre esta pérola da sétima arte. Artista do Desastre narra justamente a experiência de realização deste longa. Obviamente, o tom é de comédia sarcástica, mas também abre espaço para algo mais pessoal, levando em conta a personalidade única do criador de The Room, Tommy Wiseau, interpretado por James Franco, que também dirige Artista do Desastre. Esse filme promete gargalhadas e um olhar mais profundo sobre os bastidores do longa, por isso devendo ser um deleite para qualquer cinéfilo.

06 – Os Novos Mutantes

Quem diria que a revitalização dos filmes de super-heróis iria partir justamente do estúdio mais acomodado do gênero, a Fox? A franquia X-Men sempre fez sucesso nas telonas, mas a fórmula estava desgastada. Bryan Singer, responsável por trazer os mutantes ao cinema, já não apresentava inventividade com os novos títulos da franquia, sendo X-Men: Apocalipse o fundo do poço no quesito criatividade. Porém, a ideia de fazer filmes de gênero com histórias de super-heróis como pano de fundo surgiu no estúdio como um novo “paradigma” para o gênero. Deadpool foi uma comédia para maiores, Logan foi um road movie/faroeste, e em 2018, Os Novos Mutantes chegarão com o terror. A coisa mais próxima disso que vimos disso partiu da própria Fox, no último filme do Quarteto Fantástico (2015), cujo primeiro ato não decepciona, mas seu desenrolar é desastroso. Confesso que ao ver o trailer, não me empolguei, e até achei mais cara de uma série de TV, pois o baixo orçamento é visível na tela. Pensando mais um pouco sobre o assunto, gosto do risco, e é isso que este gênero está precisando.

05 – Ilha de Cachorros

Wes Anderson é um dos meus diretores favoritos atualmente. Não há um único filme seu que eu não goste, seja uns mais e outros menos. Em Ilha de Cachorros, Anderson retorna ao gênero de animação em stop-motion, com o qual já havia trabalhado muito bem em O Fantástico Sr. Raposo. A estética do cineasta já é bem conhecida e valorizada, mas inacreditavelmente ele sempre se supera a cada lançamento. Em animação, nem se fala, pois é um gênero que literalmente qualquer coisa pode ser feita. Então, por favor, eu quero ver Wes Anderson em sua plenitude imaginativa!

04 – Vingadores: Guerra Infinita

Sem dúvida, este é o filme mais óbvio dessa lista. Talvez se fosse apenas mais um filme dos Vingadores, não estaria presente aqui. Porém, se trata de “Guerra Infinita”, onde tudo o que foi construído em dez anos de MCU vai se conectar de forma épica. Diferente dos outros filmes desta enorme franquia, este promete perdas irreversíveis, sendo o final de uma era e o começo de outra bem diferente, segundo o presidente do estúdio Kevin Feige. Enfim, não há muito o que justificar na expectativa por esse gigante do cinema, né?

03 – Aquaman

Eu sei, eu sei… O Universo DC no cinema está bastante irregular. Começamos com o mediano O Homem de Aço, seguimos com o problemático Batman Vs Superman, o horrível Esquadrão Suicida, o ótimo Mulher-Maravilha e agora o polêmico Liga da Justiça. Em comparação ao concorrente Marvel, a DC anda sobre ovos com seu universo estendido, e nenhuma decisão da Warner tem real credibilidade. A escolha de Jason Momoa para interpretar Aquaman foi inusitada, mas muito bem aceita pelo público. Infelizmente, o ator não teve a oportunidade de mostrar a que veio em Liga da Justiça, mas seu filme solo promete algo bem diferente do que já foi visto não só no Universo DC, mas nos filmes de super-heróis em geral. O fator água é um diferencial, e a direção de James Wan, que já se provou especial não apenas no gênero de terror, mas em grandes franquias como Velozes e Furiosos, causa-me uma expectativa enorme para ver o que esse cara vai fazer com esse tipo de filme.

02 – A Forma da Água

Guilhermo Del Toro é inquestionavelmente talentoso e com uma visão única. Infelizmente, a bilheteria de seus filmes não costuma gerar o lucro que deveria para os estúdios. Seu longa anterior, A Colina Escarlate, foi o mais decepcionante de sua carreira, sendo fracasso tanto de público e de crítica. Entretanto, em uma reviravolta que só os grandes gênios conseguem realizar, seu mais novo lançamento, A Forma da Água, tem ganhado prêmios e elogios de todo mundo que já viu. Não tem como não esperar ansiosamente por uma das melhores obras de um dos seus cineastas preferidos.

01 – The House that Jack Built

Lars Von Trier é um cara polêmico. Seus filmes, por menos expressão que tenham no mainstream, geram inquietude e questionamentos. Ele não é um diretor que tenta agradar, pelo contrário, ele quer chocar. Algumas vezes, essa mania é forçada demais, outras vezes sai tão orgânico quanto suas declarações pouco convencionais, para ser bem eufemista. The House that Jack Built é sobre um serial killer. Um filme de Lars Von Trier sobre um serial killer. Ele extrai a pior coisa dos melhores personagens, imagine o que ele pode fazer com um assassino serial. Isso basta para este ser meu filme mais esperado do ano. Seja o que Deus quiser!

Menção Honrosa – Projeto Flórida

Desde a primeira vez em que ouvi falar desse filme, interessei-me por ele. Gosto muito do William Defoe, e acho que ele ainda é subestimado em Hollywood, na maioria das vezes sendo escalado para papéis secundários sem grande expressão. Dessa vez, mesmo como ator coadjuvante, seu personagem é fundamental na trama. Além disso, agrada-me muito a ideia de filmes independentes de caráter naturalista, com pessoas reais atuando. O diretor Sean Baker já se provou fã de experimentalismos de estética e linguagem cinematográfica, chamando minha atenção pelo fato de ter gravado seu filme Tangerine apenas com a câmera de um iPhone.

Clique aqui para conferir também a lista de Gil Victor.

Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando