Inicio Destaque OS MAIORES SUCESSOS E FRACASSOS DE 2018

OS MAIORES SUCESSOS E FRACASSOS DE 2018

Disney consegue figurar pesado nos dois lados da balança.

651
0
COMPARTILHE

Estamos chegando ao fim de mais um ano. Hora de conferir a lista de vencedores e perdedores do ano! Na maioria dos casos, fica bem claro logo de cara quais filmes estão destinado a encontrar glória ou ruína nas bilheterias. Contudo, essa lista não considerará apenas o sucesso ou fracasso financeiro. Também incluiremos a recepção do filme entre críticos e público.

Vamos à lista!

SUCESSOS

Pantera Negra

O primeiro lançamento da Marvel Studios em 2018 foi um marco por várias razões. Foi o primeiro filme de super-herói da história a contar com um elenco e equipe de maioria negra, foi a maior bilheteria da história para um filme solo de super-herói – faturando mais de US$ 1,3 bilhão – e vem fazendo bonito na temporada de premiações, recebendo três indicações ao Globo de Ouro e uma ao Screen Actors Guild. Será que o Oscar também prestará atenção no rei de Wakanda?

Vingadores – Guerra Infinita

Se 2018 começou bem para a Marvel, o filme seguinte entrou para a história. Vingadores – Guerra Infinita se tornou o quarto filme na história a arrecadar mais de US$ 2 bilhões em bilheteria mundial e se tornou (de longe) a maior bilheteria para um filme de super-herói na história. O sonhado encontro entre Vingadores e Guardiões rendeu um dos melhores filmes do universo Marvel, um dos maiores vilões dos últimos anos na forma do titã Thanos e um dos finais mais chocantes do gênero. Com um gancho como aquele, é garantido que a fila para Vingadores – Ultimato será quilométrica.

Um Lugar Silencioso

2018 também foi um bom ano para o gênero do suspense independente, com um destaque especial para Um Lugar Silencioso. Feito com apenas US$ 17 milhões, o longa faturou mais de US$ 340 milhões em todo o mundo e conseguiu 95% de aprovação dos críticos no Rotten Tomatoes. O ator John Krasinski – que estrela, dirige e escreve o filme – se tornou um cineasta respeitado e requisitado. Sua co-estrela, sua esposa Emily Blunt, foi coberta de elogios por sua performance. Uma sequência já está sendo planejada e deve explorar outras pessoas nesse universo distópico.

Podres de Rico

Convenhamos, o gênero das comédias românticas não vinha bem das pernas entre público e crítica. Depois do resultado desastroso de Jem e as Hologramas, o diretor Jon M. Chu precisava de um bom filme para levantar a carreira. Podres de Rico ajudar nos dois quesitos. O filme foi um enorme sucesso nos EUA, fazendo US$ 174 milhões no país e US$ 238 milhões no mundo inteiro. A comédia recebeu duas indicações ao Globo de Ouro e foi indicada na categoria Melhor Elenco no Screen Actors Guild. Outras duas sequências devem ser desenvolvidas a partir dos demais livros da trilogia de Kevin Kwan: China Rich Girlfriend e Rich People Problems. Contudo, a maior vitória foi para o fato de que uma franquia com elenco de maioria asiática tenho sido lançada com grande sucesso.

Nasce uma Estrela

Apesar de muitos terem se aproximado de Bradley Cooper e aconselha-lo a abandonar a ideia de um remake de Nasce uma Estrela, o ator se manteve firme em sua decisão, tomando para si os cargos de diretor, roteirista e produtor. Mas foi ao escalar a cantora Lady Gaga no papel principal que a atenção do mundo se virou para o projeto. O drama, que custou apenas US$ 36 milhões, foi um enorme sucesso de crítica e bilheteria, levando os números finais a aproximadamente US$ 382 milhões. Cooper foi indicado nas categorias Melhor Ator e Melhor Diretor no Globo de Ouro, já Gaga foi indicada a Melhor Atriz e Melhor Canção (Shallow). O longa já se tornou um forte candidato ao Oscar 2019.

FRACASSOS

Máquinas Mortais

Eis um filme que, apesar de ainda não ter chegado aos cinemas brasileiros, já se tornou um dos maiores fracassos de 2018. Nem mesmo o nome do diretor Peter Jackson (da trilogia O Senhor dos Anéis) na produção foi o bastante para atrair a atração do público para essa adaptação do livro de Philip Reeve. No entanto, além da fraca campanha de marketing, o elemento que talvez tenha marcado a morte prematura dessa franquia foi o tempo. A popularidade de sagas infanto-juvenis vem caído drasticamente nos últimos anos e uma possível franquia como Máquinas Mortais teria se beneficiado se fosse lançada cinco anos atrás. A produção veio sendo arrastada há cerca de uma década, perdendo a época de ouro do gênero, e considerando que o longa estreou próximo de Aquaman, O Retorno de Mary Poppins e Bumblebee – três franquias com muito mais forças entre o público – nem Peter Jackson poderia fazer esse filme funcionar. O longa deve perder mais de US$ 100 milhões.

Robin Hood

Por um tempo, parecia que Hollywood estava determinada a trazer personagens clássicos para as telas com um toque moderno, tal qual Sherlock Holmes (2009). No entanto, parece que essa estratégia não tem dado resultado nos últimos anos, com filmes como Rei Arthur – A Lenda da Espada e Hércules (a versão de Kellan Lutz) sendo massacrados critica e comercialmente. Por que alguém achou que seria diferente com Robin Hood? Apesar de contar com Taron Egerton, Jamie Foxx e Ben Mendelsohn, o filme não conseguiu atrair o público e estreou em quinto lugar nos EUA e conseguiu apenas 15% no Rotten Tomatoes. No fim das contas, Robin Hood se tornou uma das maiores bombas do ano e trouxe um prejuízo de mais de US$ 100 milhões ao estúdio.

Uma Dobra no Tempo

Oprah Winfrey, Reese Witherspoon, Chris Pine e a diretora Ava DuVernay eram uma combinação da qual muitos tinham altas expectativas. Baseado no livro de Madeleine L’Engle, muitos consideravam a obra “infilmável” devido aos seus temas complexos e visuais extraordinários, mas a Disney tentou… mais de uma vez. Depois de um filme para televisão lançado em 2003, o estúdio investiu entre US$ 100 e 130 milhões (sem incluir o marketing) nessa versão para cinema. Mas nem mesmo uma Oprah gigante conseguiu salvar esse desastre! O filme fez míseros US$ 132 milhões em bilheterias e ficou com apenas 42% de aprovação no Rotten Tomatoes. Também não ajudou o fato de que o longa estreou pouco depois de Pantera Negra, que ainda lotava os cinemas. Como resultado, o longa trouxe um prejuízo de cerca de US$ 100 milhões aos cofres da Disney.

Solo – Uma História Star Wars

Mesmo que o filme não traga Harrison Ford no papel, os fãs ainda vão amar um filme sobre Han Solo, não é? Beeeem… não foi o caso. A franquia Star Wars, apesar de já ter dividido fãs e críticos no passado, sempre foi sinônimo de sucesso financeiro. No entanto, Solo – Uma História Star Wars se tornou o primeiro filme da história da saga a dar prejuízo, fazendo menos de US$ 400 milhões em bilheteria. Considerando as extensas refilmagens, Solo foi o filme mais caro da franquia, custando entre US$ 275 e 300 milhões, isso sem contar os gastos com marketing. Após o fracasso, a Disney passou a repensar outros derivados de Star Wars, como Boba Fett e Obi-Wan Kenobi.

O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos

Sejamos sinceros, você lembrava que esse filme estreou no mês passado? Pois é. Apesar de estar enchendo os cofres com seus filmes de super-heróis, as aventuras infanto-juvenis parecem estar tendo o efeito contrário na Disney. Depois do resultado desastroso de Uma Dobra no Tempo, a fantasia O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos parece ter sido ainda mais ignorada pelo público, mesmo contando com atores como Keira Knightley, Morgan Freeman e Helen Mirren no elenco. O longa não só passou por extensas e caras refilmagens, mas também enfrentou filmes como Halloween, Bohemian Rhapsody, O Grinch e WiFi Ralph nos cinemas americanos, sendo massacrado nas bilheterias. No total, o longa fez apenas US$ 152 milhões em todo o mundo e foi considerado “esquecível” pelos críticos. Considerando que o “orçamento oficial” do filme (sem marketing e refilmagens) foi de US$ 132 milhões, fica claro que esse foi um dos maiores fracassos do ano, mesmo que os números oficiais não tenham sido revelados.

Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando