Inicio Gênero Ação ESPECIAL: FILMES DA DC QUE NUNCA CHEGARAM AOS CINEMAS

ESPECIAL: FILMES DA DC QUE NUNCA CHEGARAM AOS CINEMAS

O que impediu esses projetos de chegarem às telonas?

285
0
COMPARTILHE

Para muitos, pode ter levado uma vida inteira, mas enfim realizamos o sonho de ver um filme da Liga da Justiça nos cinemas. A jornada até esse dia foi longa e tortuosa, com muitos problemas no set que quase ameaçaram seu lançamento, como a repentina saída do diretor Zack Snyder após uma tragédia pessoal. No entanto, graças a chegada de Joss Whedon (Os Vingadores), a produção pôde ser concluída à tempo da data de estreia.

O processo de produção de um filme, principalmente de mega-produções como filmes de super-heróis, é sempre muito complexo e caro, ao ponto que um único passo pode marcar seu sucesso ou fracasso. Mas há também casos onde essas decisões fazem com que algumas esperadas adaptações de quadrinhos nem mesmo tenham a chance de chegar às telonas. Nas últimas décadas, o universo DC nos entregou muitos filmes incríveis e outros que nos fizeram ter raiva com cada centavo desperdiçado com o ingresso. No entanto, nossa lista de hoje reúne casos em que nem ao menos podemos imaginar qual teria sido nossa reação, pois esse filmes nunca chegaram a ser lançados:

Superman Lives

Conseguem imaginar Nicolas Cage como Superman? Pois isso chegou muito perto de acontecer. Depois de comandar dois filmes do Batman, Tim Burton retornava ao mundo dos super-heróis com o primeiro filme do Superman pós-Christopher Reeve. Kevin Smith (Dogma) foi chamado para escrever o roteiro, e sendo nerd de carteirinha, esse foi um projeto dos sonhos. No entanto, Smith acabou batendo de frente com Jon Peters, produtor veterano do estúdio que constantemente rejeitava suas ideias e incluía outras que fariam qualquer fã de quadrinhos coçar a cabeça, como um Superman que não voa e que tem um Supermóvel(!). O próprio Burton também queria se distanciar da versão tradicional do Superman e chegou a trazer um novo roteirista. O longa teria o vilão Braniac, que seria uma espécie de “monstro-aracnídeo”, que depois se fundiria com Lex Luthor. Então em 1998, devido ao enorme orçamento do longa e ao fraco desempenho do estúdio na época, a Warner decidiu afastar Burton do filme e projeto acabou morrendo. Fãs podem descobrir mais sobre os bastidores no documentário The Death of Superman Lives: What Happened?.

Liga da Justiça – Mortal

Por mais que só agora tenhamos um filme da Liga da Justiça, ele poderia ter chegado muito antes, e com ninguém menos que George Miller (Mad Max – Estrada da Fúria) na direção. O elenco principal já estava formado e contava com Armie Hammer (O Cavaleiro Solitário) como Batman, Adam Brody (da série The OC) como Flash, Common (John Wick: Um Novo Dia Para Matar) como Lanterna Verde, DJ Cotrona (G.I. Joe – Retaliação), Megan Gale (Mad Max – Estrada da Fúria) como Mulher-Maravilha, Hugh Keays-Byrne (Mad Max – Estrada da Fúria) como Caçador de Marte e Santiago Cabrera (da série Big Little Lies) como Aquaman.

As filmagens começariam em fevereiro de 2008, no entanto, com a greve dos roteiristas em 2007, o projeto foi adiado, e para piorar, o governo da Austrália (onde o longa seria filmado) decidiu negar os incentivos fiscais ao filme. Quando chegou a oportunidade de levar filme adiante mais uma vez, a Warner pareceu achar o projeto datado, principalmente considerando o enorme sucesso de O Cavaleiro das Trevas. Eles então preferiram não criar uma segunda versão do Batman para competir com a do diretor Christopher Nolan.

Lanterna Verde 2

Por mais que O Homem de Aço tenha sido o filme que deu início ao universo cinematográfico DC, era aqui que tudo devia ter começado. No entanto, com o terrível resultado de Lanterna Verde, arrecadando apenas US$ 216 milhões – com um orçamento de US$ 200 milhões – e obtendo 26% de aprovação no Rotten Tomatoes, os planos para o segundo filme foram descartados. A sequência, como a cena pós-créditos já indicava, traria Sinestro (Mark Strong) como o novo vilão, agora portando o Anel Amarelo. Rumores também sugeriam que a personagem de Blake Lively, Carol Ferris, se tornaria a Safira Estrela, vilã e posteriormente aliada do Lanterna Verde.

Batman Triumphant

Antes do lançamento de Batman & Robin, a Warner Bros parecia tão certa do sucesso do filme que não só já tinha George Clooney garantido como Batman para um segundo filme, como o diretor Joel Schumacher já começava a trabalhar na sequência, Batman Triumphant. O longa colocaria o homem-morcego, Robin e Batgirl contra o vilão Espantalho, que seria interpretado por Nicolas Cage (olha ele de novo por aqui!). O longa poderia até mesmo trazer Jack Nicholson de volta ao papel de Coringa, que retornaria como uma espécie de alucinação. No entanto, o fracasso de Batman & Robin foi tamanho que o longa recebeu 11 indicações ao Framboesa de Ouro, e é até hoje considerado um dos piores filmes de super-heróis de todos os tempos. Com isso, a Warner cancelou os planos para mais um filme, e o herói permaneceu na geladeira por quase uma década, até que Christopher Nolan e Christian Bale o resgatassem em O Cavaleiro das Trevas.

Superman Flyby

Testes de Brandon Routh e Henry Cavill para ‘Superman: FlyBy.

Depois da tentativa fracassada de reviver o último filho de Krypton com Superman Lives, a Warner recrutou McG (As Panteras) para comandar Superman Flyby, que tinha roteiro de ninguém menos que J.J. Abrams (Star Wars – O Despertar da Força). A trama fugiria um pouco dos quadrinhos, mostrando não só que Krypton ainda existe e que Lex Luthor – que aqui é um agente da CIA que investiga casos alienígenas – é na verdade um kryptoniano. McG acabou deixando o projeto, sendo substituído por Brett Ratner (X-Men: O Confronto Final), que também abandonou o barco depois de uma série de discussões com o produtor Jon Peters (sim, o mesmo Peters que vimos em Superman Lives). McG acabou retornando à direção e escalou (preparem-se) Robert Downey Jr. como Lex Luthor! Mas o vai e vem de diretores não parou, e McG deixou a direção de novo(!), dessa vez, devido ao seu medo de alturas. A produção seria levada para a Austrália e o diretor insistia que ela fosse mantida no Canardá, o que não aconteceu. No fim das contas, a direção ficou nas mãos de Bryan Singer, que deixou o terceiro filme da franquia X-Men nas mãos de Brett Ratner para realizar seu sonho de dirigir um filme do Superman. No entanto, ele mudou completamente a ideia de Superman:Flyby, que se transformou em Superman – O Retorno. Um fato curioso é que Henry Cavill, nosso atual Superman, disputou o papel do herói na época.

Mulher-Maravilha de Joss Whedon

Joss Whedon pode ter brilhado nos cinemas com o universo Marvel e os dois primeiros Vingadores, mas, por muito pouco, ele não começou no universo DC. Em 2006, Whedon entregou um roteiro com uma história que se passaria nos dias atuais. Nela, assim como no filme de 2017, Steve Trevor colide na ilha de Themyscira, mas ao ser encontrado pelas Amazonas, ele é condenado à morte. Ele aceita seu destino, mas pede apenas que os suprimentos que ele carregava sejam entregue a um grupo de refugiados que o aguardavam. Comovida, Diana desafia sua mãe a um combate, mas é derrotada, no entanto, a Rainha é tocada pela coragem da filha e permite que ela vá com Steve para o mundo dos homens. Lá, ela enfrenta Callas, um negociante de armas, e Eris, sobrinha de Ares.

Whedon trabalhou no projeto por dois anos até desistir por diferenças criativas com a Warner. Havia relatos de que o estúdio não teria ficado satisfeito com o roteiro, algo que o próprio Whedon acabou confirmando em 2007. Caso o longa tivesse sido produzido, o diretor tinha Cobie Smulders (da série How I Met Your Mother) em mente para o papel da heroína.

Batman – Ano Um

Artes conceituais para Batman – Ano Um.

Com direção de Darren Aronofsky (Mãe!) e roteiro de ninguém menos que Frank Miller, esse filme. Assim como nos quadrinhos, Bruce Wayne perde seus pais ainda jovem durante um assalto, mas a grande diferença nessa versão é que ele não teria sua fortuna e viveria nas ruas. Anos depois, criado por Big Al (sim, Alfred), ele se torna dono de uma oficina e assiste a cidade de Gotham se deteriorar, o que motiva sua decisão de se tornar o Batman. Essa versão tem inspiração em filmes como Taxi Driver, Operação França e Serpico. O filme ainda contaria com um flashforward, mostrando Clint Eastwood como a versão mais velha do personagem. Recentemente, Aronofsky revelou que queria Joaquin Phoenix (Ela) no papel de Batman. Contudo, por mais que a Warner tenha admirado as ideias de Aronofsky, um filme noir do Batman para maiores e com ideias tão diferentes dos quadrinhos afugentaram os executivos. No entanto, antes de sua saída, o estúdio já havia começado as negociações com Christian Bale para o papel de Batman, que acabou sendo mantido quando Christopher Nolan assumiu o projeto, agora intitulado Batman Begins.

Sequência de Superman – O Retorno

Por mais que tivesse o diretor responsável por alavancar a saga X-Men nos cinemas, Bryan Singer, Superman – O Retorno ficou longe de ser o grande sucesso que o estúdio esperava. Conseguindo apenas US$ 400 milhões, depois de gastar US$ 200 milhões (sem contar o orçamento), os planos para uma sequência foram cancelados. O filme, que originalmente chegaria aos cinemas em 2009, apresentaria o vilão Brainiac, que teria seguido o herói depois de sua viagem até os destroços do planeta Krypton no primeiro filme. Também acredita-se que o vilão Bizarro seria incluído na trama.

Batman Vs Superman, de Wolfgang Peterson

Muito antes de seu lançamento em 2016, ainda em 2002, a Warner havia começado a produção de Batman Vs Superman, que teria direção de Wolfgang Petersen (Mar em Fúria) e roteiro de Andrew Kevin Walker (Se7en) e Akiva Goldsman (Eu Sou a Lenda). A trama começa mostrando Superman impedindo um terrorista de apanhar até a morte, sendo revelado depois que o homem era na verdade o Coringa. Bruce Wayne está agora aposentado da vida de super-herói e prestes a casar com a mulher de seus sonhos, tendo Clark Kent como padrinho. No entanto, quando sua noiva é morta pelo Coringa, que Superman se recusou a matar, começa o conflito entre os dois.

Matt Damon, Johnny Depp, Colin Farrell, James Franco, Jude Law e Paul Walker foram considerados para o papel de Batman e Josh Hartnett para o papel de Superman. A produção estava programada para 2003, com estreia para 2004, mas no final das contas, o estúdio optou por se focar em filmes individuais dos heróis, como os já mencionados Batman – Ano Um e Superman – FlyBy.

Que outros projetos cancelados você conhece? Deixe nos comentários.

Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando
Anuncie no Cinemaginando